Poema: A Capela e as Araucárias



O jornalista e escritor Paulo Atzingen, esteve visitando a nossa Capela dos Anjos e escreveu um belíssimo poema sobre ela, o qual compartilhamos aqui com vocês!


A capela entre araucárias é templo para os que ouvem o cantar do vento o sambar das folhas o passar de um tempo. Arquitetura construída no ideal das obras que querem tocar o céu fincar no centro da terra a assinatura de um nome que representará apenas o inacabado homem.


A capela entre araucárias enfia-se nos imemoriais documentos da natureza com suas folhas secas de frio com suas copas guardiãs de uma aurora e de um rio.


A capela entre araucárias sobe paralela ao raio de luz revestida de cimento e cal ganha altura e beleza à medida que suas janelas moldam a intensidade dos fios de sol que entram pelo vitral. E nessa profundidade de uma tarde de ouro e um dia inacabado ouço o inaudível Sopro de uma vida inteira da pia batismal ao pão consagrado há paz e há amor e só posso dizer: Obrigado.


Paulo Atzingen